Unidades: Moema e Bela Vista Central de Agendamento: (11) 5052-5995 (Seg. a Qui. das 8h às 19h | Sex. das 8h às 18h)

Efeitos colaterais da radioterapia: quais são os principais e o que fazer com eles?

Efeitos colaterais da radioterapia: quais são os principais e o que fazer com eles?
Autor(a): Clínica Oncocenter
Saiba mais

A radioterapia é um tratamento de tumores malignos, e eventualmente benignos, que se utiliza de radiações ionizantes. Esse método consiste em destruir ou impedir que as células do tumor se expandam. 

Este é um dos tratamentos mais utilizados em pacientes com câncer. Segundo dados da American Society of Radiation Oncology (ASTRO), ela é aplicada para dois em cada três indivíduos. Dependendo de onde está localizado o tumor, a radioterapia pode ser aplicada de duas maneiras: externa ou interna. Para saber mais sobre como funciona o processo da radioterapia, clique aqui.

Como todo tratamento, a radioterapia traz efeitos colaterais. Neste caso, todos estão ligados diretamente à área do corpo que foi tratada. Por exemplo, se for aplicada no tórax, o paciente pode vir a ter um desconforto na ingestão de alimentos; se for na região do abdome pode causar náuseas e vômitos. Estes efeitos têm início, normalmente, no começo da terceira semana de aplicação. Vamos ver quais são:

 

  • Perda de apetite;
  • fadiga;
  • náusea e vômito;
  • irritação na pele;
  • dificuldade para mastigar e engolir;
  • perda de cabelo;
  • diarreia;
  • redução dos glóbulos vermelhos.

 

Como controlar os efeitos colaterais?

No caso da perda de apetite e na dificuldade de ingerir alimentos, o recomendado é evitar comidas picantes e ácidas. Deve-se ter uma dieta com alimentos leves, com a ingestão de muito líquido e variar bastante a comida para que o apetite melhore. Assim como estes efeitos podem ocorrer quando a administração da radioterapia é no abdome ou na região pélvica, a diarreia é um efeito muito comum também. Mas há medicações que podem aliviar este sintoma. 

O cansaço que o paciente pode vir a ter durante o tratamento é comum, devido ao trabalho que o corpo faz para reagir ao tratamento e pela possível redução dos glóbulos vermelhos. Neste caso, a realização regular de exames de sangue, o descanso do paciente, intercalado com atividades leves e a rotina é bem favorável neste processo.

Em relação às náuseas e vômitos, o médico pode receitar medicamentos para controlar este sintoma específico. 

Durante todo o tratamento, a pele da região onde estão ocorrendo as radiações pode apresentar irritações, ficando mais vermelha, coçando, seca e até descascar. Há alguns cuidado simples, como não pegar sol ou não passar perfume, que podem ser tomados nestes casos e seu radioterapeuta pode te ajudar com as recomendações.

 A perda de cabelo é comum quando o tratamento ocorre na região da cabeça e pescoço. Os fios podem começar a cair após a segunda semana de tratamento. Há casos em que o cabelo volta a crescer após o término do tratamento e há casos, mesmo que eventualmente, que a perda seja definitiva. Apenas o radioterapeuta responsável poderá dizer. 

É importante ficar de olho em todos os sintomas e sempre sinalizar o médico para que ele esteja ciente de tudo e para que as providências necessárias sejam tomadas para que o paciente passe pelo tratamento da melhor maneira possível.

ONA

Endereços:

Moema:

Av. Indianópolis, 394 – Moema
São Paulo/SP – CEP: 04062-000

Bela Vista:

Rua Dona Adma Jafet, 74 – 3º andar - Bela Vista
São Paulo/SP – CEP: 01308-050

Telefones:

(11) 5052-5995
(11) 98529-1494
(11) 98529-1708

Captação
[contact-form-7 404 "Not Found"]